Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cuidado com a Ampulheta

Lembrando que: Sempre desconfie das segundas. Sejam elas feiras, chances ou intenções.

2830

"Um príncipe, então, sendo obrigado a saber lutar como um animal, deve imitar a raposa e o leão, pois o leão não sabe proteger-se das armadilhas, e a raposa não consegue defender-se dos lobos. O príncipe, portanto, deve ser uma raposa para reconhecer as armadilhas e um leão para assustar os lobos." - Maquiavel, em O Príncipe.

homem morto

por Cláudio Estigma Bastos, em 18.01.17

IMG_20170110_211216 - Cópia.jpg

 

 

O meu problema em te esquecer começa por aqui:

A maioria das pessoas pega nos seus sonhos e procura alguem para os ir viver. Por isso é que as pessoas são como são hoje em dia, tratam o amor como algo descartavel, a taxa de divorcio em Portugal é de 70%. Deita-se fora a pessoa segue-se em frente tudo bem. A questão é que tu és um dos meus sonhos e eu quero viver-te, e tudo o que vivemos juntos eram sonhos meus , tal como tu , os meus sonhos eram parte de ti.

Quando acabou , para ti acabou o relacionamento, e lá foste tu a tua vida, tudo bem, tudo estava bem .

Para meu próprio mal eu não sou assim. Quando acabou para mim, tinha acabado o relacionamento, tinham havido abortos expontanêos e os meus filhos morrido, a minha casa com cerca tinha sido levada pelas cheias, os jantares de familia todos cancelados e até o cão atropelado. Tu tiveste um termino de namoro, eu tive a maior sequência de velórios e funeráis da minha vida. Uma parte de mim morreu também. 

Alcool & Insónias.

Toda a gente morre, mas há quem esteja a faze-lo agora , como eu . Há quem morra acompanhado, há quem morra sozinho , há quem morra com o corpo dormente e é assim que eu escolho morrer se não puder morrer enquanto durmo.

A doutora receitou-me uns drunfos e já dá pra descansar , às vezes sonho contigo, outras vezes tenho pesadelos, mas eu gosto mesmo de dormir. São horas de dormir.

Ainda que hajam mais demonios nos meus sonhos do que telhas nos telhados, eu vou - tu és um dos sonhos.


Máquina do Tempo

por Cláudio Estigma Bastos, em 28.12.16

Se eu pudesse entrava em uma máquina do tempo e voltava atrás quatro anos, cinco, seis, sete, isso, sete, numero perfeito. Numa altura em que estivesses solteira de preferência. Dizia-te que tu és o amor da minha vida e eu o teu . Mostrava-te onde me podias encontrar e pedia-te que me amasses mais cedo. Eu sei que te amaria em qualquer altura, em qualquer lugar nessa dimensão que é o tempo. Tu , terias mudado a minha vida.

É um exercício curioso pensar no que teria sido a vida se te tivesse encontrado antes, na adolescência por exemplo. Seria amor passageiro, caso de uma só noite? Ou ias perseguir-me a mente e fazer-me pensar e escrever sobre coisas como viajar no tempo ? Terias estudado comigo e proibido de faltar as aulas fazendo de mim o aluno prodígio o tinhas sido o motivo que me faltava para nunca mais la meter os pés de vez? És a professora mais sensual do mundo com os teus óculos graduados que só usas em casa e as tuas aulas ensinaram-me muito mais lições para a vida do que todos os anos em que estudei matemática.

Se eu tivesse tempo, eu dava-to todo: não há tempo que chegue para eu te amar como eu queria. Eu dou-te todo o tempo do mundo para que me ames quando e o quanto poderes. Para que me ames, eu tenho todo o tempo do mundo.
Já te contei sobre aquela vez em que cheguei atrasado ao trabalho porque perdi a noção do tempo a olhar para ti a dormires?

No Natal , dá-me um relógio. Quando tiveres de ir a algum sitio e te despedires de mim tiro-lhe as pilhas e só as volto a por quando voltares. Acho que fica uma espécie de forma de viajar no tempo, não ? O tempo é meu e eu gasto como que eu quiser, e eu quero gastá-lo contigo . O meu tempo é teu , prometo.
Eu aprendi a ver as horas porque sabia que quando os ponteiros marcassem as cinco da tarde era hora de lanchar e quando marcassem as oito , era hora de jantar. Ainda bem que gostas de chá, graças a Deus que cozinhas tão bem.
Um dia viajo no tempo e vejo-te menina pequena outra vez, mas com os meus olhos e vou contigo adulta levar-te à escola, um dia dás-me uma versão minha de como eu era a vinte e alguns anos que também se vai apaixonar por ti como eu me apaixonei , vão os dois chamar-te mãe.
Um dia o tempo pára para não te perder, não te esquecer, para puder amar-te como eu queria, e não tenho tempo.